Há tempos noticiam a “extinção” do engenheiro em cada novo ciclo tecnológico que passa no mundo, mas isso nunca aconteceu…

O que está no âmago de INOVAR é trazer ares novos à forma tradicional de produzir, e isso não necessariamente elimina a figura do engenheiro, que com conhecimento, pode orientar a aplicação de tantas ferramentas, do design thinking e realidade virtual, ao gerenciamento da obra, porque no final, o que impera são os fundamentos da Engenharia.

Por mais que surjam ferramentas de programação, os fundamentos permanecem os mesmos. Quando, por exemplo, aparece uma startup trazendo um processo de apropriação de dados de campo, não há um engenheiro perdendo espaço, e sim um engenheiro recebendo uma informação confiável, rastreável, e quase que instantaneamente. Tudo isso para tomar a melhor decisão do que fazer com o planejamento da obra!

Oportunidade? Vai abrir mais uma frente de serviço? Possivelmente e continuamente sim, pois a decisão ainda é do homem, e, se tem algo que nenhuma nova ferramenta aprendeu é a liderar pessoas.

Voltar